← Back to portfolio
Published on

Servidores do TRE-SC participam de treinamento de brigadistas de incêndio

A presença de brigadistas de incêndio tornou-se norma obrigatória nas repartições públicas, disponibilizando pessoas capacitadas no local de trabalho que saibam lidar em situações de emergência e incêndio. Em razão disso, durante a tarde desta segunda-feira (11), os servidores do Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina (TRE-SC) receberam treinamento para brigadistas voluntários de incêndio.

Os brigadistas voluntários são pessoas que auxiliam nos serviços de prevenção, combate a princípios de incêndio e efetuam salvamento, em caráter voluntário, dentro de uma edificação. No Tribunal, 33 servidores estiveram participando do treinamento para a função, com orientação do subtenente do Comando-Geral do Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina (CBMSC), Jacymir Santos de Oliveira. A capacitação foi realizada na Sede do Tribunal, no 9o andar, através de uma palestra sobre os procedimentos de primeiros socorros e de brigada de
incêndio e, em seguida, de forma prática, no CBMSC.

O objetivo do treinamento foi estimular os servidores a aprender como atuar como brigadistas voluntários de incêndio, com aprimoramento de ações de prevenção e de emergência. A existência de brigadistas voluntários em
prédios públicos é uma exigência da corporação, atendendo a Instrução Normativa 28  do Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina (CBMSC). O número de pessoas que deve possuir tal qualicação varia de acordo com a população que trabalha no edifício.

As questões de prevenção de incêndio também estão previstas nas Leis Federais Lei no. 13.425/2017 - Lei Kiss (http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2015-
2018/2017/Lei/L13425.htm#:~:targetText=Estabelece%20diretrizes%20gerais%20sobre%20medidas,Civil%3B%20 que estabelece as diretrizes gerais e ações complementares para a segurança contra incêndio e pânico em
estabelecimentos comerciais, em edificações e áreas de reunião de público, e Lei no. 13.722 - Lei Lucas (http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2018/lei/L13722.htm), que torna obrigatória a capacitação em noções básicas de primeiros socorros de professores e funcionários de estabelecimentos de ensino públicos e privados de educação básica e de estabelecimentos de recreação infantil.

Segundo o subtenente, as repartições públicas estão buscando se adequar às novas Leis. Ele exemplica que somente este mês foram realizados treinamentos no Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), Procuradoria-Geral da União de SC, nos batalhões da Polícia Militar do estado e, na próxima semana, no Ministério Público Federal - Procuradoria da República em Santa Catarina.

Para ele, esse trabalho é importante porque capacita as pessoas para que saibam se defender de incêndios e como utilizar os sistemas preventivos dentro das edificações públicas. “Isso traduz para o Corpo de Bombeiros que naquela edificação tem-se qualidade de vida, porque as pessoas se preocupam umas com as outras”. As capacitações são o primeiro passo para segurança da instituição, explica, mas é necessário que haja uma formação continuada, “para aprimorar o que está sendo realizado nas edificações públicas. Quanto mais pessoas você ensina mais seguro você vai estar”, finaliza.

Brigadistas do TRE-SC

Os dados sobre as situações de perigo, levantados pelo palestrante durante o curso, chamaram a atenção da servidora Jaqueline Fiedler, chefe da Seção de Preparação, Acompanhamento e Registro das Sessões Plenárias. Segundo o subtenente, 95% das situações de perigo que já vivenciamos - ou vamos vivenciar - no dia a dia ocorrem com pessoas próximas a nós; e 47% das ocorrências fatais se dão pela falta do atendimento pré-hospitalar adequado.

"Diante desses números assustadores, capacitar-se um pouco mais para poder prestar o apoio adequado ao próximo, quando for necessário, é uma questão de urbanidade. Pois, sem dúvida, a pior sensação do mundo é a de impotência
diante de situações de perigo/urgência a que estamos expostos diariamente”, ressalta. 

Para a servidora Cristiane Santos, da Seção de Desenvolvimento Organizacional, o treinamento foi excelente em todos os âmbitos, tanto a parte teórica quanto a prática. “O mais importante do curso foi a tomada de consciência do papel fundamental de um atendimento pré-hospitalar (diferente dos primeiros socorros que são executados por "leigos" munidos de todas as boas vontades do mundo)”. Segundo ela, “saber a diferenciação entre os dois atendimentos e despertar para a responsabilidade de um atendimento de fato adequado e pautado em conhecimentos, foi fundamental. Pode fazer a diferença entra a vida e a morte”.

Cristiane também avaliou a didática do subtenente Jacymir, que para ela “conseguiu na parte teórica reunir informações importantes, com didática, descontração e segurança de quem sabe o que faz e faz bem! Isso tudo com
uma humildade exemplar e seguiu os mesmos moldes na parte prática”, destaca.


users/104141/uploads/6707b753-5d86-49ae-9f07-aa6ec5e50ade.pdf

0 Comments Add a Comment?

Add a comment
You can use markdown for links, quotes, bold, italics and lists. View a guide to Markdown
This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply. You will need to verify your email to approve this comment. All comments are subject to moderation.
Close